O que é CAC? Entenda o Custo de Aquisição de Cliente e saiba como calculá-lo

Planejar  estratégias que tem como objetivo a aquisição de clientes pode ser um desafio quando não há métricas para guiar esse processo rumo a tomadas de decisão mais […]
Tayrane
14/06/2022 | 8 min
cac

Planejar  estratégias que tem como objetivo a aquisição de clientes pode ser um desafio quando não há métricas para guiar esse processo rumo a tomadas de decisão mais assertivas.

Ainda bem que contamos com uma série de indicadores para guiar todo e qualquer passo dado por qualquer que seja o departamento. Em Marketing e Vendas não é diferente.

Afinal de contas, como saber se minhas campanhas estão gerando o retorno esperado? Como unir esforços para traçar planos que de fato trarão o resultado esperado e que cabem no orçamento?

O CAC (Custo de Aquisição de Cliente) é um recurso indispensável para responder essas perguntas e entender se o custo dessas ações ultrapassa o valor investido pelo cliente. 

Neste artigo, vamos mostrar a importância desse indicador, como calcular e quais ações você e sua equipe podem colocar em prática para reduzir o CAC no seu negócio. Acompanhe

O que é CAC?

Mensurar a saúde financeira de uma empresa depende de alguns fatores importantes: o custo de aquisição de clientes é um deles. Mais conhecido como CAC, o indicador define os custos relacionados aos esforços realizados em Marketing e Vendas para a aquisição de novos clientes em um determinado período. 

Embora essa seja uma métrica calculada mês a mês, é importante ressaltar que ela pode variar conforme as ações estipuladas neste período. Caso novos vendedores sejam contratados recentemente, é esperado que eles não fechem negócios logo no início, elevando o valor do CAC. 

Qual a importância do CAC?

Quando o assunto é tomar decisões estratégicas, o CAC é uma das métricas fundamentais para acompanhar no seu negócio. Isso porque ele aponta se a sua empresa está financeiramente saudável, isto é, se o custo das estratégias traçadas para atrair novos clientes ultrapassa o valor representado por cada um. 

Em casos de vendas pontuais, o indicado é que o CAC seja menor que o valor do seu produto ou serviço. Imagine que você invista cerca de mil reais em estratégias para a captação de novos clientes e que a sua solução custe R$ 800. Nesse caso, você teria um prejuízo de R$ 200 para cada cliente conquistado.

Mas se o seu modelo de negócio for o de pagamento recorrente, a história é um pouco diferente. Aqui, o custo de aquisição de clientes deve ser menor que o LTV (Lifetime Value), que se refere ao valor investido pelo cliente na sua empresa durante todo o período do contrato.

Por exemplo, se a empresa gasta em R$ 100 na aquisição de clientes e o valor pago em um contrato de 12 meses para a utilização dos seus serviços é de R$ 30 mensais, o seu faturamento será de R$ 360. Pela lógica, o valor será maior do que o CAC, representando lucro para o negócio. 

Em resumo, o CAC tem se mostrado um recurso indispensável para apontar a rentabilidade de um negócio, ajudando nas tomadas de decisão estratégicas e na realocação de investimentos. 

Como calcular o CAC?

Como você viu, Marketing e Vendas são normalmente as áreas responsáveis pela aquisição de clientes e, por isso, devem ser consideradas no cálculo do CAC. Departamentos como produto, setor administrativo e suporte devem ser descartados, já que não estão à frente de ações voltadas para a atração de novos parceiros.

Tendo isso em mente, o próximo passo é identificar todas as despesas atreladas aos esforços de aquisição.

Em Marketing, as estratégias podem ser resumidas em:

  • anúncios;
  • eventos;
  • campanhas de mídia paga;
  • parcerias com influenciadores;
  • assessoria de imprensa;

Já em Vendas, o investimento está relacionado aos seguintes fatores:

  • ao pagamento de salário;
  • treinamentos de colaboradores;
  • eventos com foco em prospecção de leads
  • comissões de venda;
  • deslocamento, hospedagem, etc. 

Em seguida, basta fazer o seguinte cálculo:

CAC = (investimento em Marketing + investimento em Vendas) / quantidade de novos clientes

Suponhamos que sua empresa fez um investimento de R$ 20 mil e alcançou 40 clientes, o seu CAC será de R$ 500.

Qual é a relação entre o LTV e o CAC?

Muitas vezes há um entendimento equivocado de que se deve focar sempre em novas vendas e ignora-se um fator essencial para que o negócio se mantenha sustentável: a fidelidade dos clientes.

Graças a uma mudança no comportamento do consumidor, que se tornou mais exigente e atento às inovações tecnológicas, adquirir um novo cliente tem sido um desafio maior que mantê-lo, de fato.

De acordo com uma pesquisa feita pela Hubspot em 2019, o custo de aquisição de clientes aumentou 50% nos últimos anos. 

Mas o que isso tem a ver com o LTV? 

Na prática, esse conceito se relaciona com o valor financeiro agregado por um cliente ao longo de todo o seu ciclo de vida na empresa, já que isso representa mais dinheiro em caixa para o seu negócio. Nesse caso, um LTV maior do que o CAC demonstra que sua empresa está saudável e lucrativa. 

Por outro lado, caso o seu CAC esteja maior que o LTV, o ideal é traçar ações para mudar esse cenário, tais como: redução de custos e estratégias de retenção de clientes.

Também é possível entender quais ações de Marketing e Vendas estão trazendo melhores resultados e rever aquelas que já não fazem mais sentido. Nesse caso, os dois times devem trabalhar em conjunto para pensar nas alternativas mais viáveis para o momento.

Como reduzir o meu CAC?

Tão importante quanto obter a lucratividade desejada é viabilizar novas formas de investimentos em equipe e infraestrutura, fatores que estão diretamente relacionados à redução do CAC.

Para isso, é importante que as duas áreas responsáveis pela aquisição de clientes se atentem a novas oportunidades de gerar negócios. Abaixo, selecionamos algumas estratégias que já se mostraram eficientes em várias empresas.

Invista no Inbound Marketing

Se o intuito é reduzir o CAC, o Inbound Marketing é uma alternativa que fará a diferença na sua estratégia. Isso porque ele toma como base o Marketing de Conteúdo, que não requer altos custos para ser implementado e é pautado no interesse do lead por uma solução.

Isso significa que a equipe de vendas não terá o trabalho de abordá-lo, uma vez que será o papel dos conteúdos e materiais ricos o de atraí-lo para uma jornada que poderá levar à aquisição do seu produto ou serviço.

Implemente o Marketing de Conteúdo

Se o Inbound Marketing é o que move o lead para a jornada de compra, o Marketing de Conteúdo funciona como uma engrenagem que o impulsiona a conteúdos que respondam a uma determinada dúvida.

Mais do que atrair, esses conteúdos também podem ser utilizados ao longo da jornada de compra, seja para abordar e comparar soluções, apresentar cases de sucesso e, quem sabe, servir como apoio para a compra de um serviço. 

Considere a automação de Marketing

Ao passo que as estratégias de Marketing e Vendas ganham força, o volume de trabalho tende a aumentar. Nesse caso, contar com softwares de automação de Marketing é uma boa opção para proporcionar mais agilidade nas tarefas de rotina, como disparos e cadências de email, por exemplo.

O que antes era sujeito a erros e levava muito tempo para ser concluído, pode se tornar mais rápido e permitir que a equipe foque em ações estratégicas, que vão gerar ainda mais valor para o negócio.

Faça alinhamentos entre Marketing e Vendas

Hoje o alinhamento entre as equipes de Marketing e Vendas está presente em boa parte das empresas, o que não era algo comum há alguns anos. A troca de informações entre as duas áreas precisa ser levada em consideração quando o objetivo é alcançar leads mais qualificados e aumentar as vendas.

Se para o Marketing é importante saber se os leads gerados estão maduros o suficiente e qual é o perfil que gera maior conversão, o time de vendas busca entender quais as próximas ações de Marketing e como elas podem impactar no volume de novas aquisições. 

Estipule metas de aquisição de clientes

Além de ajudar a definir aonde a empresa quer chegar, as metas funcionam como um recurso fundamental para que as equipes trabalhem mais motivadas e prontas para darem o melhor de si.

Embora a retenção de clientes seja uma meta fundamental para que a empresa seja mais lucrativa, é importante não deixar a prospecção de lado, garantindo que as duas estratégias andem lado a lado. É aqui que as ações estipuladas por ambas equipes farão a diferença, uma vez que o objetivo é sempre pensar em adaptar o budget utilizando a criatividade como principal aliada. 

Conclusão

Depois de entender mais sobre o CAC, como calcular essa métrica, e o mais importante: como reduzi-la, fica fácil dar os próximos passos e traçar estratégias mais adequadas ao seu público, trabalhar a retenção dos clientes e promover o alinhamento entre Marketing e vendas!

A boa notícia é que as métricas não param por aqui! Existem outros indicadores essenciais para a saúde do seu negócio. Neste material gratuito, você conhecerá as principais métricas de relacionamento com clientes, poderá medir o desempenho da sua equipe e terá insights para melhorar a principal área responsável pelo crescimento sustentável da sua empresa.

conheça o ploomes

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novos conteúdos de negócios em primeira mão!

Quer receber novidades sobre vendas, marketing e gestão?

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais práticas de mercado para gerar novos negócios.