Mapa mental: o que é, ferramentas e como fazer um para usá-lo em seus projetos

Entenda o que é um mapa mental e como ele pode te ajudar a organizar ideias! Saiba como fazer o seu mapa mental e a usá-lo de forma eficaz.
Tayrane
09/01/2023 | 15 min
mapa mental

A forma tradicional de fazer anotações, seja para uma palestra, durante a leitura de um livro ou em uma reunião de negócios, é seguir uma sequência cronológica nos pensamentos. 

De maneira geral, a abordagem que costuma ser escolhida é resumir os conteúdos, usando frases completas em vez de apenas palavras-chave.

A questão é que o pensamento linear é ótimo quando você precisa ir de A a B de maneira mais direta. 

No entanto, esse tipo de abordagem pode não ser a resposta certa para todas as situações. Quando você precisa de muitas ideias criativas ou de mais soluções para um problema, há um outro tipo de caminho que pode ser percorrido.

Existe um método que pode ajudar a sair de linhas de pensamento lineares, abrindo espaço para uma abordagem mais criativa: a criação de mapas mentais.

O mapa mental é uma maneira rápida e fácil de organizar pensamentos, absorver informações e resolver problemas complexos. 

Essa metodologia aproveita os poderes da visualização e da associação de ideias e, assim, melhora tanto a memória quanto o pensamento criativo. 

Pronto para começar a criar seus mapas mentais? Boa leitura! 

O que é mapa mental?

Também chamado de mapa cognitivo, o mapa mental é uma espécie de diagrama onde se organiza ideias e informações de forma que fica mais fácil para o cérebro registrá-las. 

De maneira geral, ele é uma forma visual de apresentar ideias, ajudando na estruturação e organização das informações. O mapa também pode ajudar a analisar, recordar e gerar novas ideias. 

Sendo assim, o mapa mental consiste em criar resumos visuais a partir de palavras-chave, contando com o auxílio de ferramentas como símbolos, cores e setas. Dessa forma, ele trabalha com caminhos mentais que levam a um tema central.

Para que o mapa seja realmente eficaz na criação de conexões e associações, ele é construído com alguns elementos que nosso cérebro aparentemente gosta mais. 

A criação dele envolve escrever um tema central e, em seguida, adicionar novos subtópicos e ideias relacionados, que se estendem a partir do centro. Esses subtópicos têm suas próprias ideias se ramificando.

  • Há uma ideia central no meio;
  • Cada ramo compreende uma palavra-chave;
  • Todos os ramos se conectam ao tema central (direta ou indiretamente).

Com isso, o mapa mental possibilita uma maior associação entre informações destacadas, o que ajuda a organizar as informações. 

No conceito do mapa cognitivo, certas coisas favorecem as sinapses neurais, que criam associações de ideias e conceitos. Por exemplo:

  • Cores em vez de preto e branco;
  • Curvas em vez de linhas retas;
  • Palavras isoladas em vez de frases;
  • Símbolos em vez de textos;
  • Organização hierárquica das informações no lugar de frases lineares.

Esses elementos são usados para organizar ideias e memórias conectadas. Mais ou menos dessa forma: Sustentabilidade —> Meio Ambiente —> Coleta de Resíduos —> Reciclagem.

A ideia é que o mapa mental apresente apenas uma visão geral acerca de um tema específico, destacando os pontos mais relevantes. Como cria uma associação entre os conteúdos, ele ajuda a memorizar e organizar detalhes com mais facilidade.

Basicamente, é assim que funciona o mapeamento mental, mas com variação do mesmo tema.

É importante destacar que mapas mentais são subjetivos, ou seja, pessoas diferentes terão mapas mentais diferentes do mesmo espaço, com variações decorrentes de suas experiências e suposições.

Origem do mapa mental

O primeiro mapa mental conhecido se originou por volta do ano de  300 A.C. Ele foi desenhado pelo antigo filósofo Porfírio e mostra a relação entre as coisas materiais e imateriais neste mundo. 

Nascido em Tiro, Líbano, durante o Império Romano, Porfírio era conhecido por seus trabalhos sobre temas como lógica, astrologia, vegetarianismo e neoplatonismo, que é uma ramificação da filosofia da Imagem de Platão.

No entanto, foi somente na década de 1970 que os mapas conceituais e mapas mentais se popularizaram. 

O termo “mapa mental” foi criado por Tony Buzan em 1974. Autor britânico de psicologia e apresentador de TV, Buzan tornou o método ainda mais conhecido.  Sua técnica de mapeamento mental foi inspirada em métodos semelhantes usados por Leonardo da Vinci, Albert Einstein e Joseph Donald Novak.

Para criar um mapa mental, o tema principal é escrito no centro de uma página e as ideias são ramificadas hierarquicamente. É um método mais organizado de desenhar um diagrama de aranha, onde todas as ideias são desenhadas a partir do centro, sem nenhuma regra específica.

Os mapas mentais de Tony Buzan eram famosos principalmente pelo uso de cores chamativas e vibrantes. Normalmente, cada ramificação da ideia principal conta com uma cor diferente. Assim, cada galho, juntamente com seus galhos menores, foi desenhado em um estilo curvo semelhante. 

Por fim, pequenos desenhos e ilustrações podem ser adicionados para ajudar na memória, especialmente quando usados como auxílio de outros estudos.

Para que serve um mapa mental?

Os mapas mentais podem ser usados em diversas situações, desde brainstorming, gerenciamento de projeto, resolução de problemas, reuniões de negócios, anotações, organização de atividades e estruturação de ideias criativas. 

Saiba mais sobre cada uma das suas utilidades. 

Brainstorming

Precisa ter muitas ideias? O mapa mental pode ser uma ótima maneira de despertar pensamentos e organizá-los de maneira que faça sentido.

Experimente o mapeamento mental em sua próxima reunião de brainstorming para incentivar o pensamento criativo com todos os membros da equipe. O método também ajuda a estimular a criatividade na hora de criar conteúdos. 

Tomar notas

Quando estamos em uma etapa de pesquisa para um novo projeto, é natural buscar referências em um grande número de fontes secundárias como livros, artigos, sites e vídeos. 

Às vezes, a quantidade de materiais usados pode ser muito alta. Sendo assim, uma boa forma de organizar todas essas referências é criando um mapa mental. 

Então, em vez de trabalhar com o material do começo ao fim em uma sequência cronológica, é possível utilizá-lo de maneira mais “espiral”, desde o início, tendo uma visão geral e cada vez mais profunda sobre o tema. 

O mapa mental também pode ser usado para tomar notas de reuniões e palestras, por exemplo. 

Gerenciamento de projetos

Na hora de gerenciar tarefas, prazos, metas e demais atividades referentes a um projeto, o mapa também é útil. 

Essa ferramenta ajuda a melhorar a gestão do tempo, estabelecer as prioridades do time e entender melhor as entregas que precisam ser feitas. 

Além disso, o mapa mental contribui muito para o desenvolvimento de estratégias profissionais, principalmente pela organização de ideias e pelo estímulo à criatividade.

Estudo e memorização

Como os mapas mentais são extremamente visuais, as imagens podem ajudar muito na memorização. 

Ruth Colvin Clark e Richard E. Mayer escreveram em seu livro e-Learning and the Science of Instruction que adicionar imagens a instruções baseadas em texto melhorou o desempenho dos alunos em um teste em uma média de 89%. .

Quais são os benefícios de um mapa mental?

Um mapa mental pode ser usado para praticamente qualquer coisa: estudos, brainstorming, gerenciamento de projetos, planejamento de negócios e até para organizar o dia a dia das equipes em uma empresa. Confira a seguir os principais benefícios desse método. 

Ajuda a desenvolver a criatividade

Além de ser uma ótima solução para a organização de ideias, o mapa mental também é ótimo para estimular a criatividade Ao escrever palavras-chave, à medida que surgem em sua mente, diversas ideias podem ser lapidadas.  

Isso acontece pois, todas as nossas ideias costumam vir de uma infinidade de experiências e demais conhecimentos. Dessa forma, ter uma ideia criativa não é somente pensar em algo exclusivo, mas sim, criar algo com base em nossas memórias e vivências. 

É por conta disso que o mapa mental é uma excelente estratégia para diversas atividades, afinal, ele auxilia na organização dos pensamentos para elaborar planejamentos, planos de ação e demais atividades da rotina de trabalho.

É útil para organizar suas ideias

O mapa mental pode ser uma ferramenta essencial para a tomada de decisões estratégicas nos negócios. 

Com ele, fica mais simples estabelecer as prioridades de um projeto, fazer um planejamento das atividades a serem executadas e entender melhor o problema visando as melhores soluções.

É um método versátil

Mapas mentais são simples e versáteis e podem ajudar a gerar ideias e a compreensão de um tema.

O mapa mental é fácil de criar e de entender, auxilia na compreensão e recordação, ajuda a organizar dados complexos e pode ser um grande aliado na resolução de problemas.

Melhora a produtividade

O modelo de mapa mental facilita o aprendizado mais rápido, o brainstorming e a comunicação mais eficaz. 

Todas essas são habilidades vitais para se ter no mundo dos negócios. Afinal, ser capaz de fazer tudo isso com mais eficiência economiza o tempo e melhora a qualidade do seu trabalho e das entregas. 

Melhora as apresentações

Os mapas mentais melhoram a capacidade de recordar informações, o que é um bônus quando se trata de apresentar reuniões. Perguntas desafiadoras são muito mais fáceis de responder quando a informação está profundamente enraizada.

Mapas mentais também ajudam o público que vai ver uma apresentação de vendas ou assistir a uma palestra. 

Isso acontece pois o emparelhamento de palavras com imagens ajuda a dar vida aos conceitos e ajuda na compreensão, transmitindo o ponto de vista de forma mais eficaz e facilitando a absorção de informações.

Como fazer um mapa mental? Veja o passo a passo!

exemplo de mapa mental

As regras para fazer um mapa mental não são muito rígidas, mas é essencial que a pessoa se adapte a um modelo que faça sentido para o seu cotidiano. 

Os mapas mentais promovem uma visão mais completa do tema, mas, para isso, precisam ser feitos com atenção.

Abaixo, veja o passo a passo básico para fazer o seu mapa mental. Confira!

1. Defina o tema principal

Por ser visual, o mapa mental não pode abarcar toda a ideia de uma campanha ou projeto de uma única vez. Assim, é fundamental definir o assunto antes de criar o esquema. 

Por exemplo, um mapa mental com o tema “Física” seria pouco prático. No entanto, um mapa mental com o tema “Eletromagnetismo” se torna bastante útil.

O tema principal deve ser identificado no centro da folha, em letras grandes. É a partir dele que serão puxadas setas para temas relacionados.

2. Defina os subtópicos essenciais

Todo conteúdo é dividido em partes, e o mesmo vale para o mapa mental. Por isso, deve-se definir os pontos centrais que se ligam ao assunto principal. Pense da seguinte maneira: o que você precisa saber para compreender o conteúdo de forma mais geral? Quais são os pontos mais importantes para lembrar?

No exemplo do Eletromagnetismo, os subtópicos poderiam ser: 

  • Definição;
  • Campos magnéticos;
  • Força magnética;
  • Unidades de medida.

Em seguida, coloque cada um desses subtópicos em um canto diferente da folha, para que eles não se misturem. Lembre-se de puxar uma seta para cada subtópico. Outra dica é usar cores diferentes para eles, evitando que os conteúdos se confundam.

3. Organize as informações essenciais

Dentro de cada subtópico, deve-se escrever as palavras-chave e tópicos centrais do assunto. Dessa maneira, reúne-se as informações mais importantes para cada bloco de informações, o que ajuda na memorização e na organização do raciocínio.

No tópico de “Campos magnéticos”, por exemplo, poderíamos ter informações como:

  • Interno: polo norte → polo sul;
  • Externo: polo sul → polo norte.

Já no tópico “Força magnética” poderíamos ter a fórmula para o cálculo da força, além de lembretes visuais da orientação de cada vetor.

O importante, nesta etapa, é garantir que as informações se relacionam e esclarecem o subtópico principal. Uma dica é usar as mesmas cores desse subtópico.

4. Use imagens e símbolos

O mapa mental tem como principal objetivo auxiliar a visualização de informações. Para isso, os desenhos são fundamentais e fazem com que a memorização aconteça com maior facilidade.

Portanto, depois de definir os assuntos mais importantes e suas palavras-chave, não deixe de usar símbolos e imagens para relacioná-los. 

No exemplo usado, poderíamos fazer a representação de um ímã, de gráficos vetoriais e mesmo uma tabela com as unidades de medida.

É essencial que as imagens façam sentido para você, e não necessariamente para todas as pessoas. Em alguns temas, elas podem não ter nenhuma relação direta com o que está escrito, mas isso não importa — desde que você consiga absorver o conteúdo, elas estão corretas.

5. Numere cada tópico

Agora que o seu mapa mental já está completo, basta numerar cada um dos subtópicos criados. Dessa maneira, você treina o seu cérebro a pensar nas informações de modo ordenado, o que te ajuda a entender melhor a relação entre elas.

Além disso, caso você precise transformar as informações contidas no mapa mental em um texto corrido mais longo, a numeração é uma maneira de te ajudar a estruturá-lo. 

Pense, por exemplo, em um mapa sobre a Revolução Industrial — como esses eventos poderiam ser traduzidos para uma resposta discursiva, se necessário?

Mapa mental: confira mais duas dicas extras!

Agora você já sabe criar o seu mapa mental — muito bom! Para garantir que ele vai ser funcional e te ajudar a entender melhor o conteúdo, confira essas dicas a seguir:

  • Escreva tópicos curtos e claros, em geral ligados a termos-chave;
  • Use um código de cores e símbolos para te ajudar a entender a hierarquia das informações.

Dessa maneira, os seus mapas mentais serão muito mais eficazes, e o processo de lembrar ideias de projetos fica mais simples e funcional.

Conheça 5 ferramentas para criar um mapa mental

Mesmo que a escrita seja uma forma eficiente e prática de extrair ideias e memorizá-las, a ajuda da tecnologia é sempre bem-vinda. Então, confira 5 ferramentas para te ajudar a criar um mapa mental, juntamente com sua equipe.

1. MindMeister

O MindMeister conta com versões pagas e gratuitas. Essa ferramenta de mapa mental é uma das mais utilizadas do mundo, tendo aproximadamente 10 milhões de assinantes.

Sua vantagem é que é uma ferramenta online, então você pode acessar de qualquer lugar a qualquer hora.

Conheça a ferramenta

2. FreePlane

O FreePlane é gratuito e um pouco mais simples que a ferramenta anterior, mas ainda assim bastante interessante. Seu layout é bem básico, e entre suas funcionalidades está a possibilidade de inserir formas, notas e links inter-relacionados.

Saiba mais sobre o FreePlane

3. XMind

Agora, se você quiser apostar tudo, que tal um software verdadeiramente profissional? O XMind possui uma versão gratuita, mas sua versão paga está repleta de recursos para quem deseja um mapa mental impressionante. Além disso, o aplicativo possui uma variedade de layouts diferentes.

Clique aqui para usar o XMind

4. MindNode

Para quem usa dispositivos Apple, o MindNode também é uma ótima opção. É grátis, tem um layout intuitivo e uma variedade de formas que podem ser inseridas no design. O aplicativo também possui preenchimento automático inteligente, o que é muito útil para quando seus pensamentos estão surgindo.

Clique aqui para conhecer a plataforma

5. Coggle.it

O Coggle é uma ferramenta gratuita e online e conta com uma aparência clean e fácil de usar. Ela também é colaborativa, dessa forma, diversos membros de uma mesma equipe podem trabalhar em um mapa mental simultaneamente. 

Saiba mais sobre o Coggle.it

6. Miro

O Miro é uma plataforma visual colaborativa em formato de lousa online. Essa ferramenta capacita equipes remotas, no escritório e híbridas a se comunicarem e colaborarem em conjunto em projetos, reuniões e gestão. 

Ele conta com a funcionalidade de quadro branco onde é possível executar um brainstorm, tomar notas ou expandir diferentes conceitos. 

Conheça o Miro

7. Bubbl.us

O Bubbl.us facilita a organização visual de ideias de uma forma que faça sentido para todas as equipes de uma organização. O editor foi projetado para auxiliar na concentração das tarefas e capturar os pensamentos de todos rapidamente.

Com o Bubbl.us é possível fazer anotações, debater novas ideias, colaborar e criar apresentações de forma mais eficaz.

Conheça o Bubbl.us

8. Wise Mapping

O WiseMapping é uma ferramenta gratuita que fornece recursos de exportação extensivos e um editor de mapas mentais muito fácil de usar. 

Ele permite editar um conjunto hierárquico de ideias em torno de um conceito central, auxiliando no brainstorming de novos esboços e projetos à medida que as ideias são adicionadas ao mapa mental. 

Clique aqui para conhecer

Conclusão

O mapa mental é muito útil para criatividade, memorização e planejamento. Além disso, esse método se destaca por sua simplicidade. 

Ele pode ser usado por um gerente planejando seu próximo projeto ou um profissional de marketing criando ideias de conteúdo para um cliente, por exemplo.

Além disso, o mapa mental é muito útil em quase todas as situações em que a organização, o esclarecimento ou a geração de ideias são necessários, seja para criar novas ações para uma empresa, fazer anotações de palestras ou fazer um brainstorming de ideias para postagens em blogs.

Sendo assim, ele é uma ótima ferramenta para adicionar ao seu arsenal de trabalho. Isso porque ele não apenas irá ajudar o dia a dia a ser mais produtivo, mas também auxiliará a resolver problemas com mais eficiência e dará às equipes uma melhor compreensão dos planejamentos com soluções criativas.

banner e-book planejamento marketing digital b2b

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novos conteúdos de negócios em primeira mão!

Quer receber novidades sobre vendas, marketing e gestão?

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais práticas de mercado para gerar novos negócios.