OKR: o que é, para que serve e exemplos de como implementar na sua empresa

OKR é uma metodologia que estipula objetivos e resultados-chave para o alcance das metas de uma empresa. Aprenda como utilizá-la.
Tayrane
21/12/2022 | 9 min
okr

O OKR (Objectives and Key Results ou Objetivos e Resultados-Chave) é uma metodologia que ganhou popularidade entre as maiores empresas do mundo, incluindo as populares do Vale do Silício, nos Estados Unidos. 

Eles servem para contribuir no planejamento e execução das tarefas empresariais, algo que na teoria pode ser simples, mas na prática exige muito dos gestores.

Para ajudar você a compreender como é possível alcançar a organização e controle das metas em uma empresa, a Ploomes preparou este conteúdo sobre os OKRs. 

Entenda, a seguir, o que eles são, para que servem e como implementar na sua empresa para obter o tão desejado sucesso no mercado e tornar seu negócio mais competitivo.

O que são OKRs?

Graças à rápida evolução da digitalização no mercado de trabalho, a competitividade entre empresas também foi acelerada. Oferecer soluções inovadoras deixou de ser um diferencial e passou a se tornar uma obrigação daquelas organizações que buscam alcançar o topo em algum segmento. 

Por mais que os OKRs sejam de extrema importância diante desse cenário globalizado, sua construção ocorreu há mais de 20 anos.

Ainda na década de 1990, o ex-CEO da multinacional Intel, Andrew Grove, foi o responsável por criar a metodologia OKR. 

A fórmula de objetivos e resultados-chave, entretanto, se popularizou de vez apenas em 1999, quando John Doerr, investidor do Google, apresentou o método aos colaboradores da big tech. 

Na época, a equipe do Google contava com pouco mais de 50 pessoas. Atualmente, cerca de 25 anos depois, estima-se que o número de funcionários da empresa ultrapasse os 60 mil. Mas como o OKR ajudou com isso? Focando nos dois pontos principais propostos pela metodologia: objetivos e resultados-chave.

Funciona da seguinte forma: há uma divisão entre os objetivos, que são qualitativos, e os resultados-chave, que são quantitativos. Exemplo: se o objetivo da sua empresa for crescer 120% ao longo de um ano, os resultados-chave podem ser estipular um crescimento de 10%  ao mês.

Quantos resultados-chave tem um objetivo?

O primeiro ponto que você precisa ter em mente é que os objetivos são suas metas principais, enquanto os resultados-chave são espécies de submetas. Ou seja, para uma estratégia de OKR funcionar na sua empresa, em primeiro lugar, o número de Key Results deve ser maior que o de objetivos.

Nos objetivos, o intuito é pensar em metas mais diretas, fáceis de lembrar. Os resultados-chave são o detalhamento do caminho percorrido para alcançar o objetivo em questão. Preste atenção no exemplo a seguir.

Objetivo: aumentar o tráfego de usuários no blog da empresa.

Key Results 1: investir em estratégias de SEO.

KR2: investir em mídia paga.

KR3: aumentar em 15% o número de visitas orgânicas por trimestre.

KR4: criar uma estratégia de divulgação dos conteúdos nas redes sociais.

Especialistas afirmam que uma boa média para entender a relação entre objetivos e resultados-chave é de que a cada um objetivo, devem ser definidos entre dois e cinco KRs. Isso ajuda a dar o detalhamento correto e acompanhamento da performance do objetivo. 

Qual o diferencial das OKRs para outras metodologias?

A maioria das metodologias tradicionais busca trabalhar com metas a curto, médio e longo prazo. Nos OKRs, por mais que o médio e longo prazo também sejam fundamentais, o foco está em pensar no que vai ser relevante em um período mais limitado de tempo. O foco dos OKRs é trazer mais dinâmica e simplicidade aos processos, respondendo perguntas comuns de gestores, como: “será que esse é o melhor caminho?”.

Ao definir um período mais curto para o alcance de metas – que costuma ser mensal ou trimestral -, as possibilidades se tornam muito mais visíveis, assim como a possibilidade de analisar o que está dando certo ou errado. Isso é fundamental até mesmo para saber quando abrir mão de uma estratégia equivocada ou insistir e consertar o erro.

O modelo de OKRs, por conta dessa dinâmica mais acelerada, costuma ter impactos bastante positivos nos colaboradores de uma equipe, como:

  • A forma clara e simples de trabalhar com objetivos e resultados-chave gera um maior engajamento dos colaboradores para a realização das tarefas;
  • O reporte semanal dos resultados-chave ajuda a analisar com maior calma o que está funcionando na estratégia. Se algo der errado, vai prejudicar apenas um trimestre, e não o ano todo;
  • O livre acesso aos OKRs por parte dos colaboradores ajuda a dar a sensação de que todos fazem parte da mesma equipe e possuem igual importância para o resultado final do projeto. Cada pessoa tem noção do seu papel e de como desempenhá-lo;
  • Trabalhar com OKRs é trabalhar com uma metodologia que envolve o uso de dados e métricas dinâmicas, algo essencial no mercado de trabalho atual;
  • Os OKRs, por causa dos seus resultados-chave a curto prazo, aumentam a sensação de “vitória” nos colaboradores, já que os seus objetivos podem ser mensurados mais rapidamente. Isso serve como um fator motivacional importante para manter todos felizes e produtivos.

Como implementar os OKRs na minha empresa?

Agora que você já compreende o conceito do OKR e a lógica por trás dessa metodologia de trabalho e mensuração de resultados, chegou o momento de aprender como implementar na sua empresa e alcançar o sucesso que deseja. Para isso, separamos em 6 passos simples tudo o que você precisa para começar a trabalhar com OKRs.

1- Definição dos objetivos

Como ressaltamos desde o início, o ponto de partida para qualquer OKR é trabalhar com os objetivos que precisam ser alcançados. Lembre-se de que eles devem ser mais curtos, simples. De preferência, foque em construir objetivos utilizando frases curtas ou apenas algumas palavras-chave, para que seja algo que fixe na sua mente e na dos seus colaboradores.

2- Definição dos resultados-chave

Para os resultados-chave, pegue cada objetivo e procure desmembrá-lo em pequenas metas que vão ajudar a alcançar um todo. Importante: a estratégia de OKR não é algo individualista, portanto, trocar ideias com as pessoas da sua equipe é indispensável tanto para a definição dos Os quanto dos KRs. Além disso, se todos participam da definição, isso facilita bastante o alinhamento entre gestores e equipe.

3- Prazos curtos para análise dos resultados

A metodologia de OKR faz parte de uma estratégia de “tiro curto”. O que isso significa? Que as metas não podem ser pensadas a longo prazo, por mais que possam ter um impacto duradouro na empresa. 

O foco total deve ser em estabelecer prazos curtos, com resultados-chave fáceis de mensurar, aplicando o gatilho de urgência em toda a equipe. Não esqueça de que OKRs devem ser pensadas mensal ou trimestralmente, e os resultados serão avaliados semana após semana.

4- Faça análises semanais

O quarto passo vai ao encontro do terceiro. As análises da performance dos Key Results devem ser feitas semanalmente por uma razão muito simples: como os OKRs são mais dinâmicos, os resultados precisam ser avaliados de igual forma. Isso ajuda a garantir a constância do trabalho e também a identificar e propor soluções para os problemas o quanto antes. 

5- Transparência

Outro ponto destacado anteriormente, mas que cabe um reforço, é a questão da transparência entre todos os colaboradores e gestores da equipe. 

Os OKRS são um trabalho feito em conjunto, por isso, é essencial que todos os envolvidos tenham acesso absoluto ao andamento do processo, bem como os resultados alcançados. 

Se possível, faça reuniões semanais de alinhamento entre os grupos de trabalho e quinzenais entre todos os funcionários envolvidos.

guia do gestor de vendas

6- Separe o que é esforço do que é resultado

Por mais que o senso de trabalho coletivo deva ser forte na metodologia de OKR, não se esqueça de que o que mais conta no final é se os objetivos foram alcançados. 

Um OKR não foi pensada para falhar, portanto, se mesmo após os prazos estipulados para análise os resultados não estão vindo, tenha em mente que ou suas metas podem ser precipitadas ou seu time não está totalmente alinhado.

Seus objetivos precisam ser ousados, mas lembre-se de que resultados milagrosos são uma rara exceção no mercado, não uma regra.

OKRs x KPIs: qual a diferença?

Outra metodologia popular para mensuração de resultados, a de Key Performance Indicators (KPIs), se assemelham com os OKRs em alguns aspectos. Nas KPIs, o foco também é mensurar o quanto uma empresa está crescendo e se está alcançando todos os objetivos pensados para o seu futuro.

Os OKRs e KPIs são complementares em uma empresa, porém, a diferença entre ambas é que as KPIs focam em medir mais os resultados do que o processo em si, enquanto que com as OKRs o processo conta tanto quanto o objetivo final ser ou não atingido

Nos OKRs o que se tem é uma visão ampla e abrangente sobre o projeto, enquanto um KPI é mais instantâneo, voltado para algo completamente específico.

Uma boa solução para unir as duas metodologias é utilizar os KPIs como indicadores de resultados-chave dos seus OKRs. Eles vão servir para detalhar o processo que você e sua equipe planejam percorrer para chegar em um objetivo específico. Dessa forma, igualmente melhorando o processo como um todo.

Exemplos de OKRs em vendas

Para encerrar, preparamos mais alguns exemplos de OKRs para o seu time de vendas utilizar. 

Exemplo 1:

Objetivo: aumentar 50% o número de vendas no próximo semestre.

KR1: aumentar o faturamento em 25% por trimestre pelos próximos seis meses.

KR2: aumentar o número de leads qualificados para o time de vendas.

KR3: elaborar estratégias de marketing que ajudem a atrair mais clientes.

Exemplo 2:

Objetivo: gerar mais oportunidades de vendas no site.

KR1: investir em conteúdos de qualidade.

KR2: investir em estratégia de SEO e mídia paga.

KR3: fazer monitoramento semanal do número de visitas únicas, pelo Google Analytics.

Exemplo 3: 

Objetivo: dobrar o número de parceiros no próximo trimestre

KR1: aumentar o time de vendas para entrar em contato com mais fornecedores e clientes.

KR2: oferecer treinamentos aos colaboradores.

KR3: criar um playbook ou script de vendas.

Aprenda mais sobre os OKRs na gestão comercial

Quer continuar aprendendo sobre OKRs com especialistas renomados no assunto? 

A Ploomes preparou um webinar gratuito e exclusivo sobre o assunto, em nosso canal no YouTube. Nele, Gabriela Vargas, gerente comercial da Scoreplan, e Octavio Garbi, head de vendas da Ploomes, explicam como organizar seus objetivos e metas para alcançar resultados de maneira mais fácil. Papel e caneta na mão e bora aprender!

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novos conteúdos de negócios em primeira mão!

Quer receber novidades sobre vendas, marketing e gestão?

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais práticas de mercado para gerar novos negócios.